• Dia do Rejeito protesta contra impunidade da Samarco/Vale em atos nesta terça

    Nesta terça-feira, 5, dia em que o rompimento da barragem do Fundão no subdistrito marianense de Bento Rodrigues completa quatro anos, ativistas de diferentes movimentos socioambientais realizarão o dia do Rejeito, cobrando justiça frente ao crime da Samarco/Vale. Dois atos serão realizados, primeiro às 12h, em frente à sede do Ministério Público de Minas Gerais e mais tarde, às 19h, manifestantes se reunirão na Praça da Liberdade. No primeiro ato, novamente será feito um “bolo de lama” em frente ao Ministério Público para relembrar o aniversário do crime socioambiental e cruzes com os nomes das vítimas serão dispostas. Na Praça da Liberdade, manifestantes contarão com megafone aberto e andarão num cortejo com luzes e velas. Os atos marcam também a indignação à volta das atividades da Samarco em Mariana, anunciado na última sexta de outubro, 25. O Gabinete de Crise Sociedade Civil participa do Rejeito junto de ativistas do Movimento Pelas Serras e Águas de Minas, Parque Jardim América, Movimento pela Preservação da Serra do Gandarela, entre outras entidades. O nome do evento faz alusão a sentidos distintos da palavra rejeito, um o rejeito depositado nas barragens e outro, a rejeição ao atual modelo da mineração em Minas Gerais. O Rejeito também foi organizado em Itabira, cidade onde nasceu a Vale e será realizado na Praça Acrísio (Redonda), a partir de 13h. Uma missa em Bento Rodrigues realizada no último sábado, dia dos finados, deu início a uma semana de atividades na cidade contando com a presença dos atingidos e mais uma série de movimentos socioambientais. Quatro anos de impunidade Considerado o desastre industrial de maior impacto ambiental na história do país, o rompimento aconteceu em 05/11/15, em Bento Rodrigues (MG). Foram registrados 18 mortos, uma pessoa desaparecida, o subdistrito foi varrido do mapa, o Rio Doce e sua população ribeirinha sofreram impactos até o mar e povo Krenak viu morrer o Rio Watu. Entretanto, quatro anos após o crime, nenhuma pessoa ainda foi punida e nem mesmo os atingidos pela lama da barragem foram reassentados. O prazo inicial para a construção do novo distrito, que ia até março deste ano, foi prorrogado para agosto de 2020. A maior parte dos atingidos pela lama da barragem não foi indenizada e quase nada foi recuperado ao longo do Rio Doce. Dia do Rejeito Bolo de Lama Data: 05/11/19 (terça-feira) Local: Ministério Público do Estado de Minas Gerais Endereço: Avenida Álvares Cabral, 1690, no bairro Lourdes, em Belo Horizonte Horário: 12h Cortejo de luzes e velas pelos direitos dos atingidos e atingidas Local: Praça da Liberdade Endereço: bairro funcionários, Belo Horizonte Horário: 19h.

    Voltar Data: 03/11/2019