• A guerra entre a Vale e a Tüv Süd pela responsabilidade pelo crime de Brumadinho

    Acusada pela Alemã TÜV SÜD de pressão para obter certificado de segurança de barragem que se rompeu em Brumadinho (MG), a mineradora Vale decidiu ir a justiça contra a prestadora de serviços, solicitando acesso a todos os documentos relacionados a contratos entre as duas empresas. Empresa foi responsável por atestar a segurança da barragem da mina Córrego do Feijão, cujo rompimento, no final de Janeiro, deixou até o momento 233 mortos e 37 desaparecidos. Em depoimento á policia, um de seus funcionários, o Engenheiro Makoto Namba, alegou ter se sentido pressionado para emitir o atestado. Na ação, a Vale alega que, caso o depoimento de Namba seja verdadeiro, a TÜV SÜD teria violado obrigações contratuais e seu próprio código de ética. O dedo em riste do técnico da TÜV SÜD em verdade, não aponta ninguém, senão a ele próprio a petição. A mineradora pede acesso a documentos como estudos e relatórios referentes a quatro contratos e certificações de estabilidade de barragens de rejeitos. Entre eles e-mails citados pelos funcionários de empresa, nos quais comentariam a pressão da contratante . Namba e seu colega André Yassuda foram pressos pela força tarefa que investiga a tragédia quatro dias após o rompimento. Em depoimentos apresentaram mensagens que segundo eles, falavam sobre o processo de elaboração de laudos de barragem. Veja a reportagem completa segunda o Jornal Folha de São Paulo: https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/nova/1624386811177096-protesto-em-frente-a-vale#foto-1624387004816980

    Voltar Data: 03/05/2019